Clássicos da Arquitetura – Maison de Verre

A Maison de Verre, Casa de Vidro em Francês, foi concluída em 1931 em Paris, França. O projeto foi encabeçado por Pierre Chareau (designer de móveis e interiores) e contou com a colaboração de Bernard Bijvoet (arquiteto holandês) e Louis Dalbet (serralheiro). Seu proprietário original, o médico Jean Dalsace, tinha a intenção de demolir a recém adquirida mansão do século XVIII mas incapaz de expulsar uma mulher idosa do andar de cima, acabou optando junto a Chareau pela inusitada solução de  “cravar’ a casa debaixo do apartamento existente. A intervenção se situa dentro de um pátio na Rue St-Guillaume. No térreo funcionava o consultório de Jean Dalsace e nos pavimentos superiores sua residência propriamente dita. MAISON-DE-VERRE-Chareau Utilizando-se de telas metálicas, painéis deslizantes e inclusive um mecanismo preso ao teto para servir a sala de jantar desde a cozinha, a casa fazia a sua maneira uma materialização do conceito da máquina de morar, mas com um lirismo e uma poética que poucas construções conseguiriam alcançar. Nas décadas seguintes no campo da arquitetura a estética puramente funcionalista reinaria. maison de verre - placa maison de verre-escada

O piso dos ambientes era emborrachado (tipo plurigoma)

O piso dos ambientes era emborrachado (tipo plurigoma)

Provavelmente o principal protagonista desta edificação sejam seus tijolos de vidros. O efeito de caixa translúcida brilhante em contraste com a arquitetura do século XVIII é arrebatador. Hoje em dia tão mal aplicados e usados sem critério, os tijolos de vidro na Maison de Verre provam que o material é capaz de efeitos incríveis quando sabiamente utilizados. Um fato interessante é que embora menos conhecida do que outras casas que ficariam famosas pelo uso do vidro, como a Glass house, 1949, de Philip Johnson e a residência Farnsworth, 1951, de Mies Van der Rohe, a casa de vidro francesa data de quase duas décadas antes. Talvez tenha contribuído para seu relativo desconhecimento o fato dela se encontrar dentro de um pátio, não podendo ser vista desde a rua de acesso. 26ouro.large2_ modernist-architecture-maison-de-verre

foto de mark lyon

foto de mark lyon

A nota triste é que Chareau, sendo Judeu, já durante a segunda guerra mundial se viu obrigado a deixar a França ocupada pelos Alemães. No seu destino final, Nova Iorque, ele acabaria caindo no ostracismo morrendo em 1950 praticamente desconhecido.

Eduardo Sousa e Silva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: