Dores de crescimento

“Fiquei apavorado. ‘Meu Deus, que loucura, onde eu fui me meter’ ” 

“Aí foi que senti a escala desmedida. Me pareceu uma coisa em outra escala, diferente daquela em que eu tinha concebido a cidade, que, mentalmente, era mais compacta.”

As frases acima sobre Brasília, podem deixar alguns dos apaixonados por esta cidade, os mais avessos a críticas, chateados, parecem palavras pouco lisonjeiras para com uma cidade tão bela cujo patrimônio é reconhecido mundialmente, mas quem as disse, como o pronome em primeira pessoa denuncia, foi o próprio autor do plano: Lucio Costa, numa terça-feira, 2 de abril de 1957.

Bem verdade que naquele momento a cidade nada mais era que duas picadas que se cruzavam no cerrado. A ponderação no entanto serve para lembrarmos que não existe desenho perfeito, ainda mais quando falamos de cidades. Brasília é dona de qualidades ímpares. Pessoalmente acho difícil encontrar em outro lugar do Brasil a qualidade de vida que se tem aqui, mas em urbanismo não se acerta sempre, na verdade, a frequência dos erros costuma superar a dos acertos. Brasília acertou mais, não há dúvidas, o próprio autor em visitas posteriores se mostrou mais animado com sua criação, contudo como pôde perceber em sua primeira visita ao sítio, Brasília também errou.

Tudo bem, todos erramos. O díficil é aprender com os erros. Ainda mais quando todos só se lembram dos acertos.

Dores de crescimento são necessárias mas se não se aprende, são só dores, e lá se vão 55 anos.

Parece muito tempo mas a cidade é jovem, estamos em tempo de aprender. Parabéns Brasília.

Eduardo Sousa e Silva

notas:

1. As citações constam provavelmente dos originais de entrevista dada ao repórter Omar Abbud em reportagem no caderno B do Jornal do Brasil, 27 de novembro de 1984. Entre várias considerações interessantes do criador, sobre o ocorrido, a reportagem se limita a dizer que Lucio ao subir ao ponto mais alto da cidade ficou “apavorado” com a extensão do planalto.

2. Reportagem do Correio Braziliense em 04 de dezembro de 2014 também cita o incidente. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/12/05/interna_cidadesdf,460658/onde-fui-me-meter-disse-lucio-costa-ao-visitar-brasilia-durante-obra.shtml

Brasília antiga

construcao-de-brasilia-antiga-2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: